Postagens populares

Olá meu Povo este é o teu e nosso Cantinho

Olá meu Povo este é o teu e nosso Cantinho, fale sobre ele para mais pessoas.

atenciosamente;

The Question

Luanda Angola

segunda-feira, 1 de Outubro de 2012

Tema: Palavras Divergentes e Palavras Convergentes


Palavras Divergentes e Palavras Convergentes

Como já vimos nas classes anteriores, muitas foram as palavras que fizeram parte do léxico Português, pelo momento do renascimento. Embora ser inegável que o latim vulgar seja a base do português com a maioria das palavras a resultarem de uma grande evolução, há também que velar que um número bastante grande de palavras que empregamos diariamente são fruto processo de latinização e, por conseguinte algumas ou maior parte delas semelhantes a sua origem latina.

As primeiras, resultantes de vários séculos de Alterações Fonológicas, as que nos chegam por via popular.

As segundas, introduzidas no renascimento e impulsionadas por uma corrente que propunha o regresso dos valores clássicos, chegam-nos por via erudita. Estas palavras apresentam uma forma muito próxima do seu étimo e foram maioritariamente introduzidas por escritores. Elas apresentam uma forma e um significado distintos que são: as palavras Divergentes.
Latim
Via popular
Via erudita
Arena
Actu
Adversu

Areia
 Auto
 Advesso


Arena
Ato
Adverso


Ex.:







Por outro lado, há também palavras que sofrem o fenómeno inverso. Partindo de um étimo distino no latim, apresentam, hoje em dia uma forma semelhante; são palavras Convergentes.
Ex.: A palavra São: Como adjectivo, provém de  Sanu
Como forma verbal, deriva de Sunt
A palavra Vão: Como adjetivo, provem de Vanu
Como forma verbal, de Vadunt

Evolução Semântica

Como sabemos que a semântica é a parte da Linguística que estuda os sentidos das palavras.
Entam, para além de todas estas evoluções fonéticas, das quais muitas palavras foram alvo na sua passagem do latim ao Português, outras sofreram uma evolução ao nível do sentido. Ex.: «senhor» deriva do étimo latino Seniore; comparativo de superioridade de Senex, Senis (velho), que no latim significa «mais velho» sendo a velhice considerada um sinónimo  de experiência  de saber.



Fonética

Bem sabemos no ato da fala, produzimos um contínuo sonoro que está associado as propriedades físicas dos sons, a sua própria produção e a sua percepção. Estas são as áreas em que, tradicionalmente, se subdivide a Fonética:
1.      Fonética Articulatória
2.      Fonética Acústica
3.      Fonética Percetiva

Fonética Articulatória: estuda os movimentos do aparelho fonador, aquando da produção dos sons, seja da emissão da mensagem. Para a produção dos sons característicos da fala humana haja é necessário estarem três condições reunidas: Corrente de ar, obstáculo a corrente de ar e caixa de ressonância. Estas condições são reunidas pelo Aparelho fonador humano, constituído pelas seguintes parte:

1.      Pulmões, Brônquios e a Traqueia: órgão respiratório que permitem a formação da corrente de ar, isto é Matéria-Prima na produção de sons.
2.      A Laringe: onde situa-se as cordas vocais: Determinam a sonoridade dos sons, produzindo a energia sonora.
3.      As estruturas Supralaríngeas (faringe, boca, e fossas nasais): formam caixas de ressonância.

Funcionamento do aparelho fonador

No momento da expiração os pulmões libertam o ar que passa pelos Brônquios e entra na Traqueia chegando à Laringe. Na Laringe, o ar encontra o primeiro obstáculo à sua passagem, a glote, responsável pelo escoamento do fluxo de ar pulmonar, que fica à altura da chamada maçã-de-adão e é a abertura entre duas pregas musculares das paredes superiores da laringe, chamadas cordas vocais podem estar fechadas ou abertas. Se abertas estiverem, o ar força a passagem fazendo vibrar as cordas vocais e dando origem a um som sonoro. Para que se possa perceber melhor a distinção entre sonoro e surdo, atentemos na pronuncia de duas consoantes com (k)[surdo] e (g) [surdo], colocando os dedos na maçã-de-adão. Na primeira produção não é sentida vibração, mas, na segunda, é sentida uma vibração leve.

E na cavidade bucal caixa de ressonância que ao separar mais ou menos os maxilares, usar as bochechas e especialmente a mobilidade da língua e dos lábios, que são modulados e é produzida uma infinidade de sons, utilizando também o palato, o véu palatino, a úvula e os alvéolos.

Fonética Acústica:

Estuda a transmissão da mensagem, sendo o som estudado como um fenómeno vibratório que possui certas características:

1.      Amplitude
2.      Duração
3.      Frequência

Você esta a me ajudar na pontuação Blogger diga aos seus amigos sobre o Blogger. Obrigado

Ocorreu um erro neste dispositivo

Estamos sob cuidado de Deus

Olá pessoal aqui é o vosso boy The Question

Ocorreu um erro neste dispositivo

O que você acha do meu pqno cantinho?

Circulo de Negociações Luanda / Angola